Outras áreas

Mensagem de Boas-vindas – Ano Letivo 2020/2021

Bem-vindo(a)s à continuação do crescimento educativo, formativo e civilizacional que a EADCN, a trabalhar desde 1836, proporciona.

Num ano invulgar e, por muitas razões, não desejável, estamos prontos a continuar a nossa missão. Nem o confinamento nos reduziu a vontade, nem a separação física a força anímica que a exigência do nosso desempenho requer. E assim continuaremos no ano letivo 2020/21.

A pandemia que nos assola, paradoxalmente, serviu para dar luz ao túnel em que nos encontrávamos, revelando aos outros o que já sabíamos. Décadas de instalações improvisadas, inadequadas, contraídas em esconsos do grandioso decadente edifício do Conservatório Nacional, pareciam, há dois anos, ter finalmente solução, com destaque em cerimónias políticas de visibilidade mediática e em projetos de obra pública de maior investimento. Fogo-fátuo. Sem perspetivas de melhoria, num imbróglio de empreitadas falcatrueiras e já só fazendo notícia em rodapés da comunicação social (daqueles que passam depressa), continuamos na mesma; porém, vigorosamente, a formar jovens bailarino(a)s, na esperança de que os lugares onde venham a continuar a estudar, ou a iniciar a sua vida profissional, tenham a dignidade de que necessitam e que merecem e que, aqui, tão cedo, não irão encontrar.

Iniciamos, este ano, uma nova era de tutela da nossa instituição. Por determinação legal, parte do nosso edificado (aquela que não está prevista nas “obras” do Conservatório), assim como a gestão funcional dos nossos assistentes técnicos e operacionais, passam para a Câmara Municipal de Lisboa. Depositamos grandes esperanças nesta mudança. Não tanto no edificado, pois as tendências políticas geram diferentes visões em relação às prioridades mas, sobretudo, em relação aos assistentes. Continuamente em número deficitário, pela leitura muito própria do Ministério da Educação dos ratios nas escolas, os nossos assistentes técnicos e operacionais têm sido, desde sempre, a garantia da nossa especificidade funcional. Para além das tradicionais atribuições da função, eles fazem, desfazem e transportam cenários, cosem, reparam e conservam o nosso vasto guarda-roupa, acompanham, preparam e tranquilizam os nossos jovens artistas no contexto das apresentações públicas em espetáculos que são fundamentais e inerentes ao nosso Projeto Educativo. Esperamos que esta mudança lhes traga o reconhecimento e sobretudo o respeito que a sua dedicação merece, convertidos em compensação real.

As associações de pais e encarregados de educação, e de estudantes, têm sido fulcrais no apoio incondicional a este especialíssimo e único projeto. Desta feita, numa angariação de fundos, recuperaram uma parte substancial e rica do trabalho realizado, no período de confinamento, por alunos e professores, cujo objetivo é complementar o financiamento dos materiais necessários à proteção da saúde coletiva. Sabendo, todos, que o erário público não é um poço sem fundo e que um país em crise sanitária e financeira não consegue acudir a todas as necessidades das escolas públicas de forma abundante, esta é uma iniciativa, que se junta a outras destas associações, de valorização da nossa missão, com consciência cívica. Bem hajam!

Os nossos alunos, acompanhados pelos seus pais e encarregados de educação, estão preparados e ansiosíssimos com este início de ano. A sua colaboração durante o período não presencial de aulas foi vital. O que virá não pode ser antecipado. Contudo, estão alertados e conscientes para as suas responsabilidades neste processo de dar continuidade à vida e ao futuro que a escola encerra. Os espaços são o que são, mesmo com muita preparação não alargam, mas as atitudes podem ajudar. Depois de anos a estimular o convívio e a interação, promove-se, agora, a separação. Para ajudar, passámos a ter, finalmente, uma psicóloga efetiva. As outras questões de saúde, inerentes à dança, continuarão a ser asseguradas pelo nosso osteopata e a requerer a boa vontade e paciência no recurso aos sistemas de saúde disponíveis.

Com o ano letivo que terminou, concluiu-se um processo moroso e complicado de efetivação dos nossos professores acompanhadores, alguns com trinta anos de casa, elementos fundamentais e característica única do ensino artístico especializado em Portugal. Em parceria com os nossos professores de técnica de dança, garantem uma qualidade que se reflete no sucesso obtido pelos nossos alunos.

Igualmente na formação geral, o resultado dos exames nacionais confirmou a qualidade e o esforço desenvolvido pelos nossos docentes, coordenado pelos departamentos e acompanhado pela direção de turma e pela educação especial. Todos se preparam para uma realidade diversa, que o novo ano letivo trará, na continuidade das suas vastas e prolongadas experiências profissionais, deixando para trás a desilusão da ausência de valorização e reconhecimento da profissão a que se tiveram de habituar.

Para finalizar, a direção continuará o seu exercício de gestão, aberto à comunicação com a tutela, aos diferentes agentes envolvidos nesta panóplia de educação e formação e à comunidade educativa. Valorizamos o passado, trabalhamos no presente, construiremos o futuro, lutando contra todos os óbices naturais e artificiais.

Aproveitando a atual e viral expressão cunhada na língua portuguesa, nascida da lei do menor esforço, que rege a evolução linguística, como tantas outras áreas da atividade humana, desejamos a todos: Continuação…

Lisboa, EADCN, 14.09.2020,

O Diretor, Paulo Ferreira

Os comentários estão encerrados.

República Portuguesa | Educação